Responsive image

02/01/2017

Me desculpe, eu não posso só “parar” de me sentir assim

Me desculpe, mas eu não posso apenas parar de me sentir assim. Eu estou vinte e quatro horas por dia tentando diminuir esse sentimento terrível de tristeza, inferioridade e fundo do poço, mas eles não se vão embora. Eu sinto como se a minha depressão estivesse, a cada dia mais, me afundando em um riacho. Porém, ela não me leva, ela apenas me largou em uma correnteza com um um peso nos pés, me condenando a viver com o tal sofrimento. Eu forço os meus braços e busco forças onde não existe mais. A correnteza só aumenta.

O peso que puxa meus pés para o fundo do riacho é equivalente ao que sinto em meus ombros. Eu carrego o peso do mundo comigo e eu sei que eu não devia, mas como parar? Não me diga para parar de sentir assim, se fosse tão simples  eu estaria completamente leve, plena e nadando no riacho, em busca da felicidade.

Mas eu não estou, você não vê? Eu estou encurralada em um caminho sem saída, no qual eu sou puxada para o fundo a cada dia mais. A água que corre ao meu redor é gelada como tomar picolé em um dia frio – ela me machuca. Eu me sinto presa, apesar de ter os braços livres e poder gritar. Existem alguns dias em que eu sinto borboletinhas no meu estômago, as mesmas carregam a esperança e me dizem que vai ficar tudo bem. Nos outros, eu apenas sinto monstros na minha mente, eles querem me derrubar.

Eu entendo que você queira me ajudar e que possa não saber muito o que dizer, já que o estado em que me encontro é indecifrável para ti. Mas eu te peço, por favor, não me diga que eu devo apenas parar de sentir isso. Quando alguém fala isso, a minha vontade é de apenas ser puxada pela correnteza. É cansativo ser incompreendida e ainda mais saber que as pessoas que se sentem como eu não recebem a empatia necessária.

Me abrace, diga que tudo bem, que eu não tenho culpa em me sentir assim, que você vai estar comigo apesar de e para tudo. Talvez eu só precise de alguém que segure a minha mão enquanto a correnteza está tão forte.

Para ouvir enquanto lê: Smother – Daughter

depressao-parar-de-me-sentir

fotografia por Katie Joy

(Visited 291 times, 1 visits today)

Sobre o Autor

Gaúcha, 18 anos, estudante de fotografia, louca por seriados e apaixonada pela arte. Quer saber mais sobre mim e o blog? Clique aqui

Postagens Relacionadas

Facebook

Comentários

  1. Meu Deus! Que texto lindo… 😮
    O finalzinho pegou bem com o “ápice” da musica… EU simplesmente amei, voce tem talento, guria <3
    (E a foto ficou maravilhosa *-* )
    Não pare de escrever, beijos <3 <3

  2. Daniele Yui disse:

    Nossa que baita reflexão. São muitos momentos assim na vida. Às vezes a gente só quer ligar o F… e ser feliz… Bjo!

    http://www.pandapixels.com.br

  3. Se você estiver se sentindo assim, saiba que pode desabafar comigo, mesmo não sendo tão próximas. Eu queria saber ajudar pessoas que se sentem assim, mas acho que a melhor maneira é “segurar a mão” da pessoa, como tu disse. Ficar ao lado dela para ela saber que não está sozinha.

  4. É muito complicado, as pessoas que não entendem direito o que é a depressão acham que é só uma tristeza profunda, quando na verdade é muito mais que isso. Não dá pra pessoa com depressão “parar de se sentir assim” porque não é simplesmente um sentimento…

    1. Liz Chollet disse:

      Falou tudo, Ana! Fico chateada com a falta de empatia das pessoas, sabe?

  5. Bianca Carla disse:

    Uau Liz, que texto forte. E a foto que você escolheu representa bem tudo que você quis passar, achei que combinou demais com a postagem.
    Como se fosse simples entender o que o outro sente. Como se qualquer um quisesse e escolhesse se sentir assim. Não é uma opção e não basta ‘parar’. É preciso muito mais apoio, compreensão e ajuda.
    Já conheci algumas pessoas com depressão e o texto me tocou. Não temos muito o que oferecer a não ser apoio, no fim das contas, porque é mais uma luta interna.

    Beijos

    1. Liz Chollet disse:

      Exato, Biaaa! Que bom que gostou da escolha da foto, eu adoro a fotógrafa e acho esse ensaio perfeito. Obrigada pela compreensão <3

  6. Seu blog é sempre tão maravilhoso que dá vontade de morar aqui dentro hahah <3
    Sério Liz, seus textos são sempre maravilhosos, verdadeiros.. dá vontade de correr e te abraçar <3

    1. Liz Chollet disse:

      Miga do céu, e o que me resta falar do seu? amo tanto! venha me abraçarrr, quero! obrigada pelo carinho!

  7. Liz, que texto maravilhoso! Eu me identifiquei. Eu sofri muito com crises de ansiedade e existiam pessoas falando que seria passageiro, eu fica pior ainda, queria um abraço, que alguém me ajudasse caminhando juntamente à mim, não indo contra. Esse texto merece todo meu respeito, porque eu senti isso quando eu estava passando por esse momento difícil. Parabéns!

    1. Liz Chollet disse:

      EXATAMENTE, Carol! Tudo o que precisamos é APOIO, carinho, empatia..obrigada amore

  8. Erika Bomfim disse:

    Seus textos são lindos Liz, queria ter lido isso quando estava passando por um momento de tristeza profunda antes dos vestibulares. A dor precisa ser sentida, feliz ou infelizmente

  9. Caraca que texto! Quando comecei lendo eu achei que me identificava, mas cada palavra tornou-se mais profunda e eu fui compreendendo esse sentimento que parece até monótono.
    Enfim, você escreve muito bem e consegue transmitir todo o sentimento que é carregado.

  10. Que texto maravilhoso, intenso, profundo. Amei! Não tenho nem palavras pra descrever o quanto eu amei!
    Acabei de conhecer o blog, mas já me sinto tão confortável nele!

  11. Entendo a dificuldade que é sair desse sentimento. Se é que podemos chamar isso de sentimento? Pois, como vc mesma citou, é algo difícil de decifrar. Tenho amigos que já passaram por isso, e estudei um pouco sobre, a fim de ajudá-los. E a melhor ajuda é o “estou contigo e não vou te deixar só, mesmo que queira”. Posso não compreender a dimensão, mas não quero que se sinta sozinha. Sinta-se abraçada.

    Bjoos, XOXO

  12. Mariana Faian disse:

    Liz que texto emocionante! Essa sensação de estar presa à tristeza, afogando-se nessa agonia me tocou tanto por estar passando por uma situação tão delicada dessas. Ninguém apenas deixa de sentir isso, nós apenas escondemos de forma que nem nós mesmos possamos enxergar. Estou sentada na cadeira do meu serviço tremendo de emoção por me sentir dessa forma e ainda estar tentando escapar. Parabéns pela força de escrever sobre isso.

  13. Que texto! Amei! Me sinto exatamente assim. É muito fácil falar para parar se sentir e eu realmente quero parar, mas não consigo. Entendo.
    Beijos!

  14. Julia disse:

    Seu blog tem um ar tão bom, suas fotos tem uma energia muito positiva. Faz textos incríveis que da pra captar muito a energia que você queria repassar!

  15. Victoria de Andrade disse:

    Como você disse no texto eu não tenho muito o que te dizer, já passei por algo parecido e acabei não contando à ninguém por conta desse comentários de “não se sinta assim”, como se a gente quisesse se sentir assim. Felizmente passou e espero do fundo do coração que você consiga superar isso também. <3
    Blog da Vicky

  16. Sammy disse:

    Que blog lindo, todo organizado! Gostei muito do texto você escreve muito bem!

  17. Achei o seu texto maravilhoso, super forte e cativante. Não tenho nem palavras pra descrever ele, gostei demais!

  18. Ai Liz! Me angustia ler isso e ver o quão ainda se torna ter que lidar com esse tipo de comentário “não se sinta assim”. Desejo força e fé para que passe pelos dias ruins. Precisando tô aqui. Você é maravilhosa <3

  19. Julie disse:

    Poxa, Liz que forte! Você consegue realmente transmitir emoção em suas palavras. Infelizmente, nessa sociedade materialista, quando se trata de sentimentos as pessoas não conseguem lidar. Por isso que depressão é algo que muitos não sabem o que dizer, mas isso precisa mudar logo! As pessoas precisam ter mais empatia com as outras. Se fosse fácil parar de “sentir assim” ninguém estaria se sentindo assim! Amei o texto, muito verdadeiro.

  20. Jade Amorim disse:

    Eu não vou tentar te ajudar, Liz, porque eu não posso, seria arrogância minha achar que seu problema é tão mínimo que apenas uma meia dúzia de palavras ditas por mim fossem o suficiente. A parte mais cruel da depressão é que é uma luta só sua.
    Eu sei como você se sente, e garanto que se quiser em qualquer momento me puxar para conversar e desabafar, um ombro pra chorar, pode contar comigo. Eu passo por isso todos os dias também. É uma merda né?
    Te recomendo, de verdade, ir atrás de ajuda especializada. Não posso negar que os remédios me ajudam muito a clarear a mente, a lidar com essa coisa toda que acontece por aqui. Sua saúde mental é extremamente importante, não negligencie ela, nem ache que é algo que o “tempo cura”, depressão muitas vezes é a pura e simples incapacidade do nosso cérebro de produzir certos hormônios. Não é placebo, nem “droga da felicidade”, como muita gente ignorante diz por aí.
    Eu espero, de verdade, que você consiga ter mais dias felizes que dias tristes, e que consiga a força necessária para enfrentá-los.

    Beijos.

  21. Sophia disse:

    Amei o seu blog, me senti tão bem nele, esses textos maravilhosos me tocaram cada um em uma parte. Amei.
    sophialiotto.blogspot.com

    1. Liz Chollet disse:

      Nossa, que comentário maravilhoso! Obrigada, de coração, fico muito feliz!

  22. Já passei muito por isso e ainda passo, quando tenho recaídas com relação a minha auto estima, pelo menos comigo, as pessoas que falavam “é só parar de pensar nisso” “só parar de sentir isso” eram as pessoas que me faziam sentir isso, hoje graças a Deus não tenho mais essas pessoas por perto e tenho pessoas maravilhosas que me compreendem e quando não compreende, apenas ficam comigo até eu me sentir melhor <3
    Menina Psicótica

    1. Liz Chollet disse:

      Bem assim, Sabrina! Pessoas tóxicas nos derrubam e devemos nos afastar delas, que ótimo que você conseguiu! <3

  23. Bianca disse:

    Seus textos são incríveis Liz! Passei por momentos de depressão em que ninguém conseguia me ajudar (alguns nem faziam esforço). Consegui superar, mas as vezes tenho crises e sinto tudo voltar.
    No ano novo eu fiquei sozinha em casa e achei que seria super de boa: chorei. Eu queria comemorar e até gosto de ficar sozinha, mas quando eu vi tava chorando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *