Responsive image

02/01/2017

Me desculpe, eu não posso só “parar” de me sentir assim

Me desculpe, mas eu não posso apenas parar de me sentir assim. Eu estou vinte e quatro horas por dia tentando diminuir esse sentimento terrível de tristeza, inferioridade e fundo do poço, mas eles não se vão embora. Eu sinto como se a minha depressão estivesse, a cada dia mais, me afundando em um riacho. Porém, ela não me leva, ela apenas me largou em uma correnteza com um um peso nos pés, me condenando a viver com o tal sofrimento. Eu forço os meus braços e busco forças onde não existe mais. A correnteza só aumenta.

O peso que puxa meus pés para o fundo do riacho é equivalente ao que sinto em meus ombros. Eu carrego o peso do mundo comigo e eu sei que eu não devia, mas como parar? Não me diga para parar de sentir assim, se fosse tão simples  eu estaria completamente leve, plena e nadando no riacho, em busca da felicidade.

Mas eu não estou, você não vê? Eu estou encurralada em um caminho sem saída, no qual eu sou puxada para o fundo a cada dia mais. A água que corre ao meu redor é gelada como tomar picolé em um dia frio – ela me machuca. Eu me sinto presa, apesar de ter os braços livres e poder gritar. Existem alguns dias em que eu sinto borboletinhas no meu estômago, as mesmas carregam a esperança e me dizem que vai ficar tudo bem. Nos outros, eu apenas sinto monstros na minha mente, eles querem me derrubar.

Eu entendo que você queira me ajudar e que possa não saber muito o que dizer, já que o estado em que me encontro é indecifrável para ti. Mas eu te peço, por favor, não me diga que eu devo apenas parar de sentir isso. Quando alguém fala isso, a minha vontade é de apenas ser puxada pela correnteza. É cansativo ser incompreendida e ainda mais saber que as pessoas que se sentem como eu não recebem a empatia necessária.

Me abrace, diga que tudo bem, que eu não tenho culpa em me sentir assim, que você vai estar comigo apesar de e para tudo. Talvez eu só precise de alguém que segure a minha mão enquanto a correnteza está tão forte.

Para ouvir enquanto lê: Smother – Daughter

depressao-parar-de-me-sentir

fotografia por Katie Joy

30 Comentários

Liz Chollet

Postado por

28/12/2016

10 lições sobre fotografia para você iniciar 2017 com tudo

lições  sobre fotografia 2017

 10 lições sobre fotografia para você iniciar 2017 com tudo

Hoje eu parei para pensar sobre 2016, esse ano que passou rápido porém foi repleto de acontecimentos. Para encerrar o ano, resolvi escrever posts envolvendo o ilinício do ano que vem, buscando um ar de avanço, olhar para o futuro. Para iniciar bem, reuni dez lições sobre fotografia que me marcaram e me ajudaram muito. Afinal, repassar dicas, informações, ensinamentos e lições é tão importante quanto aprendê-las.

Vá devagar.

Ao contrário do que muita gente diz, fazer muitas fotos e esperar que uma dê certo não é o melhor. Não saia clicando tudo e qualquer coisa! Todas as câmeras tem um tempo de vida e este é contabilizado a partir do número de clicks da câmera. Por isso, quanto mais clicks você der, mais vai gastar a sua câmera. Além disso, pensar mais antes de clicar te leva a desenvolver o seu olhar fotográfico, que é essencial para criar fotografias diferentes e bonitas.

Modo manual, sempre!

Se você ainda não usa, busque aprender sobre o modo manual. Aproveite e coloque isso na lista das metas para 2017! É com ele que você pode definir a velocidade, abertura do diafragma e ISO, e assim pode ajustar de maneira correta ou brincar com esses três itens do pilar, criando fotografias borradas, subexpostas e assim por diante. Para quem já sabe, treinar e explorar é sempre importante.

Adquirir repertório é importante.

Repertório se refere ao seu grau de conhecimento, a sua bagagem de mundo…portanto, quanto mais repertório você adquirir, mais fácil vai ser criar cenas para fotográficas. Basicamente, o seu cérebro vai acumular todo o conteúdo que você lê e visualiza, assim, fica fácil desenvolver ideias na hora de fotografar.

Quem faz a fotografia é o fotógrafo.

Você não precisa ter o melhor ou último equipamento do momento para ser um bom fotógrafo. Use o que tem e aprimore os seus conhecimentos! Com gambiarras, técnicas e tratamentos, fazemos – praticamente – qualquer coisa.

Errar é humano.

Esquecer bateria, cartão de memória, não conseguir ajustar a fotometria em um certo dia, demorar até aprender uma técnica…tudo bem. Estamos na vida para aprender e na fotografia não é diferente. Se você errou, aprenda com seus erros e lembre-se de que ninguém nasce sabendo tudo. Aliás, você vai errar! Muitas vezes, até acertar o que tanto errou.

O Pinterest é o seu melhor amigo.

Isso deveria ser regra para todos os estudantes, de qualquer área! Nessa plataforma tem de tudo e para fotografia existe desde técnicas sobre câmeras, dicas de edições, presets de graça, até posts ensinando o que você pode e não pode fazer trabalhando como fotográfa(o). O segredo para achar mais pastas lá é abrir uma imagem e olhar as relacionadas, nessa tal imagem, abrir as pastas que ficam como relacionadas! Já vou dizer: você vai perder noites “viajando” no Pinterest.

Você não sabe tudo.

Calma lá, não é porque você está se dando bem e tendo facilidade para aprender que você é o melhor ou já ganhou o mundo, certo? Temos que sonhar mas também devemos ter os pés no chão!

Você vai precisar de ajuda.

E não tem problema! Ninguém sabe tudo sobre tudo e admitir que se precisa de ajuda em algo não é motivo para vergonha. Criar laços na sua área de trabalho é extremamente importante e vai te render parcerias muito bacanas.

Valorize cada passo que você já deu.

Independente de você ser profissional ou não, valorize cada passo na fotografia. Desde quando você começou a fotografar, quando comprou a sua câmera, o seu celular, quando instalou/baixou o programa de tratamento…tudo valeu a pena e tudo deve ser visto como um grande passo!

Aprenda as regras para depois poder quebrá-las.

Talvez a melhor e mais importante de todas as lições sobre fotografia que eu aprendi durante a minha jornada. ISO, diafragma, abertura, regra dos terços, proporções, ângulos, linhas, diagonais, setas…você pode sim quebrar todas essas regras que aprende! Mas, antes disso, deve aprender todas, uma por uma! É quando você entende as regras de composição  fotográfica e as quebra de propósito que as coisas começam a ficar divertidas.

O que você achou? Me conte qual você acha que mais te ajuda!

Agora que você aprendeu essas dez lições sobre fotografia, que tal aprender a usar o modo manual? Clique aqui!

40 Comentários

Liz Chollet

Postado por

25/12/2016

FOTOLOGIA: registros de um natal no interior

Natal é sinônimo de vermelho, verde e branco. Época das decorações mais fofas, delicadas e fotogênicas do ano, o natal chega sempre, para mim, como uma avalanche. Uma avalanche de sentimentos confusos sobre o ano que se passou! Revejo tudo: cada mês, cada semana, cada ato feito e não-feito. É nessa data que as metas (e aqueles sonhos bem distantes) para 2017 são anotados na agenda. Repenso sobre as conexões e problemas mundiais, sobre o que aconteceu e nível mundial nesse ano e o que eu poderia ter feito para ajudar – eu e você poderíamos ter ajudado muito mais, viu? fica de meta para o ano que vem!

É nessa quinzena, semana e final de semana que revejo parentes, dou abraços e visito a minha cidade no interior. Pode não parecer a coisa mais animada de todas, e sinceramente, não é – mas é aconchegante. O coração se sente protegido por conhecer todas as ruas, lojas e endereços. Nesse natal em especial, temos a presença da Princesa, nossa nova gatinha (muito) sapeca e lindínea – vocês verão ela nas fotos!

Não tenho religião, logo, não comemoro nada relacionado no natal. Sendo sincera e falando honestamente, considero uma data voltada ao comércio, mas isso é papo para outra hora. Apesar disso, o natal tem o poder de reunir pessoas, unir almas e transformar corações, e isso é lindo! Eu realmente espero que captem o sentimento aconchegante que quero passar com as fotos, ok?

fotografia natal

decoração natal

fotografia natal

fotografia natal

fotografia natal

natal fotografia

  1. A minha decoração preferida da árvore. | 2. O clichê. | 3. Princesa, destruindo a árvore de natal. | 4. Globo de neve! | 5. O esconderijo dos presentes. | 6. A fofura e a delicadeza.

Fotografar nesse natal foi, com certeza, muito bacana. Registros são extremamente importantes e devem ser estimulados, afinal, são uma importantíssima forma de memória. Para fotografar, usei uma canon t3i e uma 50mm, que foi um presente de natal do meu namorado, aliás! E que presente, não poderia estar mais apaixonada por essa objetiva! Espero que tenham gostado das fotos e quero que sintam-se abraçados nessa data, certo?!

Visite o blog dos outros participantes e veja mais fotografias!

Prestes a Voar | Mar de Ideias | Corvinum | Querida Idade | Tudo que Motiva |

23 Comentários

Liz Chollet

Postado por

23/12/2016

A falsa representatividade em ter uma gorda na playboy

fluvia-lacerda-playboy-na-playboy

Ser mulher em um mundo machista é bem complicado. Estamos constantemente preocupadas e irritadas com o nosso próprio corpo, sempre iremos achar algo para não gostar em nós mesmas – e isso, eu repito, não é nossa culpa. Crescemos com regras ditadas sobre como nos vestir, agir e falar. Todas nós crescemos com problemas de autoconfiança, se você é mulher e está lendo isso, sabe bem do que eu estou falando. Acima disso tudo, a regra principal desse jogo que manipula a nossa mente é: devemos ser magras. Senão, sem chance. Você já está fora.

Acredito que a principal dor de ser gorda em um mundo repleto de padrões e ditaduras de beleza, é a de que nós somos excluídas por isso. Você está literalmente fora de tudo. O emprego, que na maioria das vezes é mais complicado para mulheres, se torna ainda mais difícil de alcançar, já que não temos o corpo que a empresa quer mostrar. As pessoas se afastam, dão risada e sentem pena. Para elas, somos apenas cartas foras do baralho.

Quando se é gorda, você não é representada em comerciais de televisão, propagandas de lojas e é muito menos vista como um ser que possui sensualidade e desejo sexual. Eu me pergunto: a minha gordura me impede de sentir? Na última semana a Playboy anunciou uma edição com uma gorda na Playboy, na capa. Essa mulher é Fluvia Lacerda, uma blogueira linda e que trata basicamente sobre moda plus size. De cara, você pode pensar: nossa, que incrível, depois de tanto tempo a Playboy vai aceitar outros corpos, desmitificar isso e fazer uma edição com uma mulher gorda! Mas, calma, nós precisamos analisar isso.

(mais…)

18 Comentários

Liz Chollet

Postado por

17/12/2016

Mulheres inspiradoras: Paola Carosella

paola carosella mulheres inspiradoras

Você provavelmente já assistiu ao menos um episódio de MasterChef, aquele programa de culinária que dá o que falar e que tem os jurados mais legais e queridos. Quando eu comecei a assistir MasterChef, Paola Carosella me encantou com sua leveza, simplicidade e humildade: sempre tranquila, com o tom baixo e, acima de tudo, apesar de ser um grande chef, Paola preserva sua humildade e trata todos da mesma maneira.

Além disso, a sua conexão com a natureza e com os alimentos me fez (e faz) manter o coração quentinho. Ela, apesar de não ser vegetariana ou vegana, procura tratar cada alimento com muito amor, compaixão e delicadeza. Em vários episódios ela fala sobre o desperdício desnecessário, cultivo de plantas e sobre ter respeito com o que se está cozinhando. Na terceira temporada de Masterchef, o participante Lee, um médico descendente de japoneses, emociona Paola Carosella ao dizer: “Eu preciso da chance de vocês três para eu poder ir atrás desse laboratório. Capitalista nenhum vai me dar dinheiro, e o dinheiro que eu tenho não é suficiente. Quero que as pessoas gastem R$ 100 no supermercado e renda R$ 300. Fiz universidade de graça nesta terra, e é a forma que eu tenho para devolver”. 

Em entrevistas dadas a revistas, Paola fala muito sobre assédio, machismo e direitos humanos. Ela, que sofreu assédio as 12 anos de idade, quando ainda morava na Argentina, hoje é uma das cozinheiras que mais luta contra o machismo na cozinha. Isso pode ser visto tanto nos seus tweets (@PaolaCarosella) quanto no programa, quando muitas vezes participantes usavam expressões e frases machistas e Paola respondia. Aliás, Paola foi uma das pessoas que mais apoiou Dayse, a vencedora do primeiro MasterChef profissionais e quem sofreu um machismo terrível dos colegas participantes.

dayse vencedora masterchef

Na final, antes dos resultados, Paola se dirige a ela e fala: “‘Você não está aí por ser mulher, você está aí por ter um talento inacreditável. Nós vemos pessoas e nosso trabalho é julgar pessoas. Pratos que têm autenticidade, sabor e alma. A sua comida tem tudo isso. Você pode ganhar essa competição, não importa. Mas você já ganhou uma coisa que talvez você não saiba. Você abriu os olhos das pessoas para que elas olhem sem gênero’

Além de tudo isso, Paola teve uma infância difícil, coisa que eu descobri a pouco e me faz a admirar ainda mais pela força incrível que ela transmite. Quando criança, perdeu seus pais. O pai cometeu suicídio (era depressivo) e a mãe morreu afogada na piscina de sua casa. Hoje, além de ser mãe de uma menina, é dona de três restaurantes em São Paulo e ainda tem que lidar com o machismo e com o preconceito por ser da Argentina.

paola carosella escola ocupada

Nessa foto, Paola estava cozinhando em uma escola ocupada, como apoio aos estudantes. Sobre esse movimento, ela disse: “Uma escola é muito mais do que um centro de ensino, é um espaço de convívio e um núcleo comunitário”.

Com ela eu aprendi (ainda mais) que mulheres são incríveis, que a natureza merece cuidado e amor e que somos todos iguais. Obrigada, Paola Carosella. Você nos inspira.

Me conte: quais mulheres te inspiram?

Para saber mais sobre ela: 19 provas de que Carosella é a melhor pessoa do masterchef

A cozinheira que não queria ser Chef

23 Comentários

Liz Chollet

Postado por

Páginas«1 ...789101112131415... 18»